jump to navigation

THE 4400 (Série) sexta-feira 10 agosto, 2007

Posted by Dude in Séries, The 4400.
5 comments

Ep. 4×01 – The Wrath of Graham

Sinopse: Um estudante do 2º grau desenvolve uma estranha e perigosa habilidade depois de tomar a promicina. Tom visita Isabelle na prisão, enquanto Diana procura por sua irmã. Seguindo os conselhos de uma jovem mulher chamada Cassie, Kyle consegue tirar Shawn do coma. A NTAC ganha uma nova diretora.

The 4400

Apesar de toda a irregularidade, é inegável dizer que todo o hype criado em torno de Heroes é justificável, mas antes mesmo de Hiro, Peter, Claire e cia surgirem, a tv já exibia The 4400, série que explora em termos mais discretos e com uma abordagem mais séria, a mesma temática de sua cria, pessoas comuns descobrindo habilidades especiais e como lidar com elas.

Se o foco das 3 temporadas anteriores da série era todo direcionado aos 4400 abduzidos que retornaram com alguma habilidade, o início da 4ª temporada da série marca uma mudança de foco que coloca sob discussão a questão do acesso à promicina – a substância que deu habilidades aos 4400 – e dos riscos que a mesma oferece àqueles que a injetam. Mas será que essa aposta vai ser boa para a trama? Eu aposto que sim, mas ao mesmo tempo gostaria de ver a série dedicando mais atenção às suas raízes, ou seja, mostrar o impacto da mudança nas vidas daquelas pessoas. Mudanças aliás que é bom lembrar, foram distintas já que enquanto algumas perderam alguns poucos anos de suas vidas, outras perderam décadas ressurgindo em um mundo totalmente diferente e novo.

Ainda que não tenha sido a melhor abertura de temporada da série, este episódio estabelece bem o clima que deve pontuar toda a temporada, e a história do garoto Graham mostra que habilidades em mãos erradas podem ser tão perigosas quanto palavras de um líder influenciador como Collier.

Por Davi Garcia

CANE (Série) sexta-feira 3 agosto, 2007

Posted by Dude in Cane, Séries.
3 comments

Ep. Piloto (inédito no Brasil)

Sinopse: Drama que narra a história de duas famílias rivais (sendo uma delas de imigrantes cubanos) no negócio do rum e da cana de açúcar no sul dos EUA. A série explora a rivalidade entre os Duques e os Samuels e ainda os conflitos internos dos clãs pelo poder.

Cane

Cane é como O Poderoso Chefão se Vito Corleone tivesse passado o negócio da família para Michael, mas Sonny e Fredo ainda estivessem vivos e furiosos com isto.”

Foi com essa definição ambiciosa que o produtor Jonathan Prince definiu a série. Exagero? Nem um pouco. Mesclando um quê da clássica trilogia da máfia italiana (simplesmente o melhor filme de 9 horas da história do cinema) com características que lembram muito a recente e excelente série Família Soprano, Cane tem todos os ingredientes para transformar-se em sucesso, pelo menos de crítica, se não de público.

A aposta é arriscada de fato, e sua continuidade sem dúvida nenhuma vai depender da resposta do público e claro da audiência. A série promete trazer muita discussão política na trama uma vez que o núcleo da série vai explorar a vida de imigrantes cubanos que alcançaram o sucesso nos EUA. O tema central, pode soar pouco atraente para o geralmente alienado público americano, mas boto fé que a força do elenco liderado por nomes consagrados como o do ganhador dos prêmios Emmy e Globo de Ouro, Jimmy Smits (Nova York contra o Crime e The West Wing), e dos ótimos Hector Elizondo, Nestor Carbonnel (o Richard Alpert de Lost) e Polly Walker (a Átia de Roma) aliada à bela trama apresentada, conduza a série a pelo menos uma temporada completa. Cane estréia dia 25 de Setembro pela CBS nos EUA e possivelmente em novembro aqui no Brasil pela Warner segundo informação do Teleséries.

Por Davi Garcia

CHUCK (Série) quinta-feira 2 agosto, 2007

Posted by Dude in Séries.
1 comment so far

Ep. Piloto (Inédito no Brasil)

Sinopse: O criador de The O.C. e o diretor McG (Panteras 2) apresentam Chuck, novo drama do canal NBC com pitadas de humor sobre a vida de Chuck Bartowski, um sujeito viciado em computadores que depois de ‘baixar’ para seu cérebro segredos do governo, se vê envolvido em trabalhos de espionagem que o obrigarão a dividir a vida entre seu trabalho nerd com computadores e missões secretas para a NSA (Agência de Segurança Nacional).

Chuck

Não sei dizer se foi a sinopse da série, a saudade de Alias (que também mostrava a vida de uma jovem espiã), ou mesmo ambas que me fizeram alimentar uma grande expectativa sobre a novata Chuck (estréia dia 24 de setembro), mas a verdade é que o episódio piloto desse novo drama que abusa bastante do humor (ou algo parecido) não me cativou, o que no entanto não significa que a série seja ruim.

A idéia é boa, mas pouco convincente (pelo menos neste piloto), afinal mesmo usando um divertido exagero como argumento para toda a série – dados secretos do governo que são transferidos para o cérebro do protagonista, depois que este assiste um vídeo enviado por um ex-colega de faculdade que na verdade era um agente secreto – a sensação é a de que a explicação (ou a falta dela) de como isso acontece e porque o rapaz é obrigado a colaborar com o governo, diminui um pouco da graça do acontecimento. Contudo, é justo dizer que Chuck é um protagonista interessante que consegue até mesmo trazer um pouco daquela aura de Sydney Bristow (de Alias) para a série, mas é igualmente necessário apontar que a indefinição de quem são os vilões da história ou mesmo qual é o papel dos dois agentes da CIA e da NSA contribui para tornar o piloto apenas uma aposta razoável para a nova safra de séries. Se darei outra chance à série? Sim! Nem que seja só para ficar apreciando a Sarah Lancaster em algumas cenas 😛

Por Davi Garcia

PUSHING DAISIES (Série) quarta-feira 1 agosto, 2007

Posted by Dude in Pushing Daisies, Séries.
8 comments

Ep. Piloto (Inédito no Brasil)

Sinopse: Drama romântico que nos leva ao estranho mundo de Ned, um homem capaz de trazer pessoas mortas de volta à vida através do toque. As pessoas que ele toca contudo, só podem ficar vivas por 1 minuto, e se não morrerem novamente, alguém próximo morre. Ned decide usar sua habilidade para resolver crimes. Ele e um investigador local, trazem vítimas de assassinatos de volta à vida para descobrir quem as matou, e assim ganhar o dinheiro de possíveis recompensas. Mas quando Ned devolve a vida a um antigo interesse amoroso, as coisas começam a ficar complicadas.

Pushing Daisies

Deixe o aspecto surreal da sinopse de lado e apaixone-se por Pushing Daisies. Combinando com rara perfeição o drama e a comédia, a série constrói uma idéia original como há muito tempo não se via na TV. Da simpática trilha sonora passando pela fotografia caprichada, a narração em off e um protagonista carismático, tudo conspira para que a série se torne um conto de fadas moderno e bonito.

Tudo muito bom, mas um receio fica no ar. A temática é diferente e ambiciosa demais para uma série que será exibida por um canal aberto americano (a ABC) e por isso tenho quase certeza que apesar de ter um conceito extraordinário – é certo apostar em críticas positivas – sua vida pode ser curta por causa de audiência, um evento que quase sempre condena boas idéias. De longe nos resta torcer e fazer propaganda dessa grata surpresa que estréia no dia 3 de Outubro 😉

Curiosidade:

Barry Sonnenfeld (diretor dos dois filmes Homens de Preto) é o diretor do piloto de Pushing Daisies que foi criada por Bryan Fuller que por sua vez co-produziu a 1ª temporada de Heroes.

Por Davi Garcia